quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Virago 250 - Viraguinho- Uma pequena com Classe.


Clique para Ampliar

Aparência de moto maior, cromados muito bem feitos, banco em dois níveis, uma forte queda pelo estilo Cruiser (aqui no Brasil chamamos de Custom) a Yamaha Virago XV 250 ou (Viraguinho) ficou famosa no nosso mercado e até hoje encontra muita procura  e com bom valor de revenda.


Irmã menor da XV 535 não fica devendo em nada a motos de maior cilindrada da mesma categoria. A XV 250 foi lançada no exterior em 1.988 e foi uma grande sacada da Yamaha que em alguns países perdurou em produção até 2.007. Quando foi lançada ela tinha aqui no Brasil como concorrente apenas a Suzuki Intruder 250 de um cilindro.


No Brasil ela foi lançada em 1.995 com o número crescente de vendas a Yamaha decidiu nacionalizar o projeto e já em 1.997 estava sendo montadas em Manaus até o ano de 2.002 quando a Fábrica inesperadamente e sem maiores explicações resolveu tira-la de linha. 


Atualmente temos várias fábricas em vários países montando motos com a mesma receita e vendendo muito bem até hoje, inclusive no Brasil como a Kasinski, Sundown e Dafra que possuem modelos importados  baseados na Virago XV 250 sob licença da própria Yamaha.


O Motor V2 de 21 cv, na estrada conseguia manter velocidades cruzeiro de 90/100 km/h com alguma reserva para ultrapassagens, sua  velocidade limite era de 125 km/h, sempre sendo preciso forçar nos giros para chegar aos 8.000 rpm, onde ela obtém sua potência máxima. Um problema era a pequena distância do solo exigindo cuidado com lombadas, rodas raiadas de 18 polegadas na dianteira e 15 polegadas na traseira.


Consumo de 24/25 km/litro em média de cidade e estrada e tanque de 9,5 litros dão a ela autonomia de 230 km. Boa de dirigir e com câmbio de 5 marchas ela se tornou a moto preferida pelos adeptos desses modelos que não dispunham de uma fortuna para investir em sua moto.


 A Virago trazia algumas novidades que acabaram dando certo, o sistema de alimentação por carburador simples era alimentado por um sistema de vácuo que já iniciava na própria torneira tanque que se abria automaticamente ao ligar o motor, o motor de dois cilindros em V refrigerados a ar com o cilindro que fica atrás deslocado para a direita para melhor refrigeração e com comandos simples para cada  um, com duas correntes independentes para as válvulas. 


Esteticamente ela mantém o estilo com o guidão largo e curvado, os cromados bem distribuídos o banco estilo poltrona na frente e estreito para o garupa em dois níveis com um pequeno encosto estofado no final.
Bons freios sendo o dianteiro a disco com ligeira tendência  para travamentos exige um pouco de prática no uso intenso. 


O Painel segue a linha Custom e tem apenas uma peça o velocímetro, sendo que as luzes espia ficaram escondidas em uma caixa menor mais abaixo.
Os acabamentos de cromados e da pintura podem ser considerados de primeira linha e a mecânica e suspensão são suficientes para enfrentar o transito urbano e pequenas viagens. 
Após retirar de linha a Virago 250 a Yamaha lançou o modelo -  V Star250 que não alcançou o mesmo destaque pois a a concorrência já estava produzindo motos na mesma linha.
Hoje em dia é muito usada pelo pessoal dos moto clubes  e pela turma que gosta de modificar e adaptar para seu próprio estilo.

A Sucessora V Star250

Fabricante
Apelido
Virago XV250
Produção
Sucessora
Tipo
V-twin 248 cc
21,49 cv @ 8000 rpm
2,1 kgf.m @ 6500 rpm
5 marchas, corrente.
Dianteira - Garfo telescópico, 33 mm de diâmetro e curso de 130 mm. Traseira - Basculante com 2 amortecedores ajustáveis em 5 posições de pré-carga das molas.
Freios
Dianteiro - Disco fixo ventilado com 280 mm de diâmetro e pinça de dois pistões simples. Traseiro - Tambor com acionamento mecânico.
Dianteiro - 3.00-18 47S. Traseiro - 130-90 S15 66S.
Altura do Assento
685 mm
Tanque
9,5 L
Peso 139 kg




Modificadas

Clique para Ampliar








Postar um comentário