quarta-feira, 22 de abril de 2015

BSA Bantam - Uma Inglesa genuinamente Alemã



 
Clique para Ampliar
Quando se fala da BANTAM -  BSA (Birmingham Small  Arms) imagina-se um projeto genuinamente Inglês, mas este não é o caso das famosas BSA Modelo Bantam (GALO), este projeto foi tomado  como “reparação de guerra” da indústria alemã DKV ao final da II Guerra Mundial, tendo sido utilizado também pelas Indústrias Harley-Davidson, Yamaha, WSK (Polónia), Voskhod (Rússia) e MZ que assumiu a antiga fábrica DKW na Alemanha Oriental.


 


Os ingleses tiveram apenas o trabalho de inverter todo sistema de câmbio e comandos assim como as medidas das peças que foram modificadas para polegadas criando assim o modelo D1 de 125cc.


 Na época do pós guerra esses modernos, leves e baratos  motores de 2 tempos fizeram sucesso atingindo no Reino Unido um público que precisava de um meio de locomoção acessível pois o país estava destruído pelos bombardeios alemães.






A BSA Bantam foi fabricada entre 1948 e 1971 tendo recebido atualizações gerais na parte elétrica, suspensão e motorização que apesar de manter o projeto básico da DKV foi ampliado de 125cc para 148 e finalmente para 175cc.

 
Clique para Ampliar
A Série Bantam evoluiu com o passar dos anos tendo a sua velocidade e potência melhorado muito, por exemplo a velocidade máxima que em 1948 era de 72 Km/h evoluiu no final para 104 km/h.





 O câmbio que originalmente era de 3 marchas foi melhorado para 4 marchas e a suspensão traseira que era rígida também foi atualizada melhorando seu conforto.
Os modelos Bantam foram exportados para todos os continentes, sendo seu montante total de produção desconhecido, havendo apenas estimativas que falam em números seguramente superiores a 250 mil unidades tornando naquela época a BSA no maior fabricante de motos do mundo.






Mas com o passar dos anos, a falta de investimentos e recursos fez com que a indústria inglesa ficasse parada no tempo, perdendo lugar para as japonesas que chegaram aos anos 70 com projetos inovadores tornando o pequeno 2 tempos da DKV tão desatualizado como acabaria se tornando toda a indústria da Alemanha Oriental  escondida atrás a Cortina de Ferro.
 
Clique para Ampliar

Das unidades que vieram para o Brasil poucas sobreviveram à falta de peças de reposição e foram sendo modificadas  com toda sorte de gambiarras e adaptações, até chegarem ao ponto de não apresentarem mais condições de uso. A desvalorização e falta de interesse em sua preservação tornaram raras as Bantam ainda em condições de restauração e muito mais raras as originais. 





Na Europa onde foram produzidas durante 23 anos são bastante comuns e entre as Clássicas Inglesas é a que aparece em maior número e aquela que oferece maior número de peças de reposição facilitando sua restauração  a baixos custos. 










Atualmente são motos  ideais para pequenos passeios e encontros/exposições  de final de semana, sempre encontrando alguém que já teve ou andou em uma delas. 










Postar um comentário