sábado, 28 de fevereiro de 2015

Mobylette Caloi





Ciclomotor bastante conhecido dos brasileiros a Mobilete Caloi (Mobylette) tem sua origem no ano de 1949 na França onde a empresa Motobécane iniciou uma linha que fez imenso sucesso e trouxe lucros permanentes para os cofres da pequena fundição fabricante tradicional de bicicletas que chegou a marca de 14 milhões de unidades da pequena Mobylette.



No Brasil ela foi fabricada sob licença pela Caloi em sua unidade de Manaus, e usava um pequeno motor a 2 Tempos com 49,9cc era sólida, confiável, muito barata na manutenção e chegava a incríveis 70 km/litro ou mais de gasolina. 

Clique nas fotos para Ampliar

Mecânica simples com transmissão primária a correia, secundária a corrente e variador de velocidade composto de discos/placas fixos e deslizantes para aumentar e diminuir a velocidade aproveitando com eficiência o giro do motorzinho. A suspensão era composta de garfos telescópicos na dianteiras e amortecedores comuns na traseira.

Clique nas fotos para Ampliar


A Caloi produziu milhares de unidades e tinha preço competitivo para enfrentar a concorrência da Monark (Monareta) também de 49.9cc e teve sucesso enquanto nosso mercado estava fora do alcance das japonesas que chegaram com modelos de 50 e 125 que fizeram com que houvesse uma mudança no gosto para pequenas motos tornando os ciclomotores defasados, mas, até hoje as Mobylettes estão transportando pessoas pelas nossas ruas sendo algumas em estado precário devido ao pequeno poder aquisitivo de parcela da população. Outro fator de complicação para as vendas foi o novo Código de Trânsito que obriga os usuários de ciclomotores a possuir habilitação categoria A, licenciamento, emplacamento e ao uso de capacete inclusive o garupa.


Na França a Mobylette foi fabricada em diversos modelos e com motorizações variadas, que compartilhavam a mesma base mas tinham diferenças na alimentação, ignição e câmbio. Mas como tudo acabou sendo eliminada pelo progresso saindo de fabricação vítima das leis anti poluição europeias que consideram o pequeno motor 2 tempos de 49cc excessivamente poluidor sendo que a última unidade saiu da linha de produção em 2002.



A Motobécane pediu falência em 1981 devido a investimentos em áreas diferentes de sua principal produção  e foi adquirida pela Yamaha passando a denominar-se MBK e iniciou a produção de Scooters para venda na Europa onde as marcas japonesas tem dificuldade para entrar no mercado.

Clique nas fotos para Ampliar
Clique para Ampliar


Temos hoje no Brasil grande número de admiradores das Mobylettes podendo encontrar grupos e tribos que se formam  para passeios e exibições com ciclomotores modificados em estilo e na motorização, tendo alguns modelos mais aceleração e velocidade final  que algumas 125cc originais de fábrica.
Na minha opinião as mais antigas são mais bonitas que as modernas devido ao trabalho artesanal em seu acabamento.


Clique para Ampliar
Clique nas fotos para Ampliar




Postar um comentário