segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Yamaha RD200 - CS5E




Clique nas fotos para ampliar



Ano 1972, a Yamaha lançou uma moto de 200 cc usando a mesma base da sua 125, a princípio imaginava-se que não poderia ser um bom produto, mas a surpresa foi muito boa. Hoje poderíamos chamar criando um paralelo com a informática de um Overclok positivo.


Nesse caso a nossa RD125 super evoluída excedeu em muito as expectativas, a moto se apresentou rápida  e com  capacidade de respostas imediatas graças ao sistema Torque Induction de palhetas que a Yamaha adotava em sua nova linha. A nova moto substituiu com vantagens a antiga Yamaha 180cc.
É normal as fábricas procurarem aproveitar a linha de produção, projetos e peças para mais de um produto, isso acaba gerando economia também para o consumidor na hora de comprar peças e serviços.


A RD200 inicialmente tinha os dois freios a tambor sendo o dianteiro até super dimensionado para sua categoria e já no final do seu período de produção recebeu desnecessariamente talvez por motivos comerciais um sistema a disco no conjunto dianteiro que tinha amortecedores do tipo Ceriani.


A pequena era muito boa de curvas sem vibrações mas nas retas em alta velocidade costumava balançar e tinha tendência a levantar a roda dianteira nas trocas de marcha quando em rotação ascendente, esse problema resolvia-se facilmente trocando o guidão original mais largo por outro mais plano e menor, isso fazia com que o peso se desloca-se um pouco para a frente e firmava a maquininha no chão.


O câmbio aparecia em 2 opções 5 ou 6 marchas dependendo do ano e os proprietários diziam que o 5 marchas era mais divertido de usar, não era uma moto muito econômica para sua categoria mas os dois carburadores e o sistema de mistura automática de óleo 2T faziam a alegria de quem estivesse pilotando, tinha também de fábrica o sistema elétrico de 12 V e partida elétrica.


Suas principais concorrentes foram a Suzuki GT185 e a Honda CB200T cada uma das 3 com  suas virtudes e suas limitações fazendo uma legião de fãs de perfis muito diferentes, a RD200 mostrou-se versátil e de engenharia inteligente ao conseguir  conciliar facilidade no uso diário e velocidade no uso mais esportivo.



Ela oferecia 22 hp a 7.500 rpm, pesava 116 kg e tinha velocidade máxima em torno de 138 km/h, muito bom para seus 195cc, pode-se dizer que a RD125 super evoluída tinha as mesmas dimensões da 125 e um motor muito bom, mas que não excedia ao máximo permitido ou seja sem comprometer sua durabilidade e segurança do conjunto. Mais potência no mesmo pacote básico.



Essa moto foi vendida no Brasil entre 1972 e 1976 quando o governo proibiu as importações de veículos, se você estiver pensando em comprar uma pequena para reformar ou simplesmente passear e encontrar uma dessas a preço justo e principalmente em "bom" estado compre sem pestanejar elas estão ficando cada dia mais raras.


Resumindo é uma bela moto, com uma mecânica muito boa, tem poucos defeitos de projeto e foi uma vitoriosa em sua época, e se você convive bem com o cheiro do óleo 2T e gosta de andar com giro alto permanentemente, ela foi feita para você e  meus parabéns para quem pode ter uma delas na garagem.


Todo dia vamos falar de uma antiga que tenha rodado no Brasil


Postar um comentário