segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

YAMAHA DT180 EM TODAS AS TRILHAS





Se houve no Brasil uma moto que teve sucesso no "fora de estrada" ela era chamada carinhosamente de DTzinha, essa  pequena e  leve moto de 180cc foi  lançada em 1981 e seguiu evoluindo até sair de linha em 1997.
Boa de trilhas, macia e fácil de manobrar no trânsito urbano, econômica e de fácil manutenção, saiu de linha mas continua até hoje nas trilhas fazendo bonito e terminando os trechos sem maiores dificuldades.



A Dt tinha um motor de 2 tempos com 176,4cc e gerava em sua primeira versão 16,6 cv (SAE) a 7000 rpm, pesava 102kg e oferecia algumas novidades da linha Yamaha da época como a suspensão traseira tipo monoamortecida, Torque Induction evoluido, o CDI, o também novo Sistema YEIS (fluxo constante de mistura), 6 marchas e um desenho correto e moderno.



Substituta por direito da TT125, a DT fez bonito no Enduro da Independência e nas competições de fora de estrada tornando muito mais divertido os finais de semana de muitos trilheiros amadores. Ela podia rodar na lama e logo em seguida pegar o asfalto sem maiores alterações.






Falando em alterações a receita básica da DTzinha antes de entrar na trilha pesada era substituir para-lamas e Pneus, retirar piscas, espelhos e lanternas, substituir a relação de marchas e a corrente, CDI  de maior capacidade, recalibrar suspensão, trocar escapamento e instalar protetores de mão, assim rapidinho ela estava vestida para a festa. 






Durante o passar dos anos principalmente para fazer frente às motos da Agrale refrigeração líquida  que também eram trilheiras natas, ela teve evoluções como a opção de freio a disco dianteiro, o novo motor de 200cc, novo desenho de tanque de gasolina. A concorrência é sempre positiva ao consumidor.



 



 Uma grande moto que fez sucesso comercialmente trazendo resultados positivos para Yamaha Brasil e com um público cativo no fora de estrada e que enfrenta até hoje os barrancos e trilhas Brasil afora, pergunte a um trilheiro qual a sua opinião sobre elas.







  
Todo dia vamos falar de uma antiga que tenha rodado aqui no Brasil.    






Postar um comentário