sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Agrale Motos







Em 1983 foi lançada no nosso mercado a Trail Urbana da Agrale, era uma moto com muitas novidades para a época, resultado de associação entre a Cagiva tradicional fabricante italiana e um fabricante de equipamentos mecânicos e motores de Caxias do Sul no interior do Rio Grande do Sul que adquiriu um pequeno fabricante de ciclomotores (Alpina) e resolveu lançar uma linha de motos com sua marca.
 
Clique nas fotos para ampliar.


Elas eram baseadas em modelos que já existiam na Europa (Aletta Rossa e Elefant da Cagiva) e traziam algumas boas novidades para o mercado das motos Trail  que nesse período era disputado pelas Yamaha DT180 e Honda XL250, as motos da Agrale chegavam com motores 2 tempos e refrigeração líquida, freio a disco e suspensão alta e visual bonito, eram motos que se destacavam pela sua altura e tanque de grande capacidade.



Tiveram um caminho difícil, esse mesmo caminho que hoje as motos chinesas estão enfrentando para ganhar espaço de mercado enfrentando as japonesas, afinal os produtos com maior tradição sempre terão maior aceitação pelo público mesmo que estejam defasados tecnologicamente.
Com o tempo o fabricante montou uma base em Manaus e ampliou as opções para seus modelos, tivemos motos com motorização de 125 e 190cc, que eram denominadas como 16,5 27,5 fazendo referência a sua potência de 16,5 e 27,5 cv,  entre elas as mais conhecidas foram a SXT 16,5, ELEFANT 16.5, ELEFANTE CAGIVA 125,SXT 27.5, ELEFANT 27.7, DAKAR 3,0 e a ELEFANTRE em 1989 que oferecia a opção com partida elétrica.




 Acabaram sendo adotadas com muita alegria  pelos trilheiros e se tornaram fortes concorrentes para a Yamaha DT180. Eram leves, altas e com o pneu certo podiam enfrentar obstáculos sem problemas.
Eu tive uma Agrale branca com o quadro verde modelo  27,5  em 1991, que comprei usada com baixa quilometragem, foi uma boa moto e ficou comigo por 2 anos sem maiores problemas ou despesas, tenho boas recordações delas.








Aquele era um período conturbado para as montadoras, o governo federal e seus vários planos econômicos tentado combater a inflação acabou inviabilizando algumas indústrias e a Agrale após algumas tentativas com
motos da Husqvarna para Trail e modelos mais simples como a Agrale Legion 125 uma modelo custon muito parecida com a nossa Suzuki Intruder 125 acabou desativando a unidade Manaus e finalmente paralizando a linha de motos com sua marca. a Agrale fabricou motos até 1997 e passou a se dedicar a linha de micro ônibus, tratores, caminhões e Jipes. Em 2006 vende sua unidade de fabricação de motos para o grupo MV AGUSTA.


Postar um comentário